Vítimas denunciam falso pastor pedófilo que se dizia “anjo”

Gilmar se apresentava como “Anjo Eric” e “pai” para conseguir a confiança das vítimas e de seus familiares


A divulgação do caso de abuso sexual por um falso pastor levou mais duas supostas vítimas à 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) na manhã desta terça-feira (18/06). As informações são do Metrópoles. 

As mães das duas adolescentes, de 11 e 12 anos, que teriam sido abusadas por Gilmar Oliveira dos Santos (foto em destaque), 36, foram à unidade da PCDF para registrar ocorrência.

Gilmar se apresentava como “Anjo Eric” e “pai” para conseguir a confiança das vítimas e de seus familiares e, assim, supostamente cometer abusos sexuais contra crianças e adolescentes. Ele foi detido na tarde dessa segunda-feira (17/06), no Paranoá, após cumprimento de mandado expedido pela Justiça.

Investigadores da 6ª DP iniciaram as buscas para obter informações sobre o caso no início de junho, após denúncia anônima do pastor da igreja da qual ele dizia fazer parte.

O religioso desconfiou do comportamento de Gilmar, que levava menores de 18 anos para “orar e cantar” em sua casa. De acordo com a PCDF, o acusado de pedofilia cometia os crimes contra meninas e meninos.

Segundo a delegada-chefe da 6ª DP, Jane Klébia, há cinco casos confirmados e suspeita de vários outros. “Gilmar dava dinheiro, presentes, lanches e oferecia videogames aos meninos. Ele alegava receber ordem de anjos para praticar os abusos”, diz a delegada.

Mutilação

Conforme revelaram as investigações, as adolescentes abusadas por Gilmar passaram a mutilar os próprios corpos, cortando-os com gilete. Uma delas escreveu: “A culpa é do Gilmar” na própria coxa. Outra redigiu uma carta de despedida com a intenção de cometer suicídio por causa dos abusos sofridos.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. USE COM RESPONSABILIDADE.